Nota da autora

Antes que você leia esse livro, é preciso que você saiba que eles tem alguns erros. Principalmente no que se refere a alguns termos capacitistas que, na época em que escrevi, me pareciam inofensivos. Hoje sei que não são. O arquivo em PDF deste livro é a versão física publicada em 2018.

 
Este livro tem outro problema, uma questão histórica. Em 2005, a personagem Regina diz a seguinte frase: “Amiga, o “b” da sigla LGBT não quer dizer bolacha, não, viu? Bissexuais existem”. Mas, em 2005, não existia sigla LGBT no Brasil. O B só foi entrar nela em 2008. Escolhi deixar o erro e colocar essa nota para que essa informação seja espalhada.


Ainda sobre a questão bissexual, As razões de Cris foi meu primeiro livro, então, esta história passa longe de ser meu auge de representatividade bissexual. Recomendo que leia As razões de Henrique também. Mas, ainda assim, talvez as escolhas narrativas não te agradem, porque elas não foram as melhores.


E, por último, e mais importante: o livro contém cenas de injúria racial e gordofobia, e gatilhos de depressão, pensamentos suicidas e alcoolismo. Veja a lista completa de gatilhos. Leia com muito cuidado, ok?


Caso tenha qualquer observação ou crítica a fazer, fica à vontade para me mandar um e-mail em: oclubedamaria@gmail.com. Estou aberta para conversarmos sobre os potenciais problemas da história.


No mais, é isso. Espero que goste do livro. A Cris é uma personagem muito especial para mim!


Com amor,
Maria

Quer saber mais sobre o livro?

Ainda na infância, Cris construiu um castelo para proteger seu coração. Quando estava na terceira série, conheceu Pedro, um garotinho gordo, assim como ela. Juntos, os dois descobriram os encantos de uma infância no interior e sonharam em conquistar o mundo.

Cris só não contava que seu castelo começaria a ruir por dentro, justamente pelas mãos de quem ela permitiu que entrasse. A mulher que conta essa história já não é mais a mesma garotinha destemida de antes. Uma amizade, uma bicicleta rosa e uma música roubada mudaram tudo. 20 anos se passaram e Cris deseja se vingar. Mas de quem e por quê?

O livro

Contracapa Cris.png
As razões de Cris
O que está escrito na contra-capa

Há uma magia toda especial em se tornar a amiga com quem Cris compartilha sua história.


Uma identificação tão grande que, por vezes, eu me pegava imaginando como Maria havia descoberto tantos detalhes da minha vida para colocar neste livro, momentos que me tocaram, nos tocaram, de uma maneira profunda que jamais seremos capazes de esquecer.


Pois essa é a Cris. Uma mulher inesquecível, que sofreu por ter nascido em sua própria pele. E, embora não estejamos aqui para mensurar e comparar o sofrimento das pessoas, eu, que não vivenciei preconceitos tão extremos feito ela, em diversas passagens consegui vestir suas dores. Reconheci os gostos amargos de suas decepções, da traição, do desprezo.


Todos temos nossas feridas incuráveis. Nossas essências de nuances ímpares. Nossas razões.


Foi com sofrimento, mas também com prazer muito grande que conheci as razões da Cris, e jamais vou esquecê-las.

- Di Acordi, escritora